Outubro Rosa X Novembro Azul:

Após receber o diagnóstico de câncer, uma das preocupações dos pacientes é quanto os efeitos do seu tratamento. A quimioterapia é um dos maiores aliados no tratamento oncológico e vem sendo aplicada em diferentes tipos de câncer, seja com caráter paliativo, para melhorar a qualidade e prolongar a vida do paciente, ou curativa, com a finalidade de acabar definitivamente com o tumor (associada ou não à cirurgia e a outros tratamentos).  A quimioterapia têm a finalidade de destruir as células malignas.  Entretanto, elas atacam também as células saudáveis causando diferentes efeitos colaterais ao paciente, inclusive nas células da boca, glândulas, garganta e seus lábios. Por isso o paciente pode ficar debilitado, dependendo da intensidade das aplicações. Embora a maioria dos efeitos colaterais desapareça com o término do tratamento, alguns podem durar um longo tempo. Por isso é importante saber quais os efeitos colaterais da quimioterapia e a maneira de minimiza-los e evita-los.

 

POSSÍVEIS EFEITOS COLATERAIS DA QUIMIOTERAPIA NA BOCA SÃO:

  • Boca seca derivada da pouca produção de saliva 
  • Mudanças no gosto e no cheiro dos alimentos 
  • Infecções na gengiva, no dente ou na língua 
  • Ardência, descamação ou inchaço da língua 
  • Aumenta a sensibilidade a comidas quentes ou frias 
  • Aftas e feridas na boca (mucosite oral) causando vermelhidão e inchaço, provocar dor e fazer com que seja difícil comer, falar e engolir, afetando o bem estar do paciente.

 

INFLUÊNCIA NO TRATAMENTO

Se não for tratada corretamente, a mucosite oral pode evoluir para úlceras (feridas) severas e doloridas que impedem a alimentação e hidratação correta. Uma nutrição deficiente pode comprometer estado geral do indivíduo, causando ainda mais debilidade e mal estar. Além disso, a presença de feridas na boca permite a entrada de microorganismos na circulação sistêmica e, devido a baixa imunidade, há um grande risco de desenvolver uma infecção mais grave.  A mucosite oral intensa é dose limitante da quimioterapia e radioterapia e frequentemente há a necessidade de interromper ou diminuir as doses dessas terapias, o que pode comprometer o tratamento do câncer. Existem diversas maneiras de minimizar a dor e fazer com que a recuperação seja a mais rápida possível.

 

DICAS IMPORTANTES PARA EVITAR AS LESÕES BUCAIS:

  • Sempre tome o cuidado de checar a sua boca diariamente, para que você possa verificar se há algum problema novo e poder tratá-lo assim que começar. Infecções, feridas e machucados na boca são problemas usuais para quem está realizando quimioterapia. 
  • Realize após as refeições uma boa higiene bucal, com escova e fio dental, mantendo limpo dentes, gengiva e língua. 
  • Utilize uma pasta de dente com flúor, sem corantes ou branqueadores.
  • Para enxaguar a boca, não use produtos que contem álcool. Veja com o seu dentista quais as medidas adequadas para seu caso. Ele poderá prescrever uma solução de 1 colher de chá de bicarbonato de sódio misturado a 240 ml de água morna. O bicarbonato de sódio pode fazer com que o pH oral fique alcalino, auxiliando na recuperação das feridas. 
  • Passe o fio dental de forma suave, diariamente. Passar fio dental regularmente ajuda a controlar as bactérias, diminuindo a chance de contração de uma infecção na boca.  Se sua gengiva sangrar ou você se machucar, consulte o dentista para que ele possa indicar qual a melhor forma de higienizar essa região. 
  •  Se você usar dentaduras ou prótese removível tenha certeza que elas estão bem firmes e limpas, evitando que elas traumatizem a mucosa. 
  • Deve-se ingerir bastante água. Para auxiliar a manter a umidade na boca, seu dentista poderá prescrever bochecho ou spray de saliva artificial, que aliviam a sensação de ardência e queimação. Além disso, o profissional poderá indicar mascar chicletes sem açúcar para estimular a produção de saliva. 
  • Aplicação de laserterapia pelo seu dentista para prevenir ou tratar as aftas na boca.

 

 

DICAS DE ALIMENTAÇÃO QUANDO APRESENTAR BOCA SECA

  • Tenha preferência por alimentos que são mais úmidos, macios e fáceis de mastigar e engolir, evitando alimentos crus ou muito crocantes que podem machucar a mucosa.
  • Use o misturador e/ou um batedor para comidas assadas e torne-as mais fácil de comer.
  • Leve sempre pedaços pequenos de comida a sua boca, mastigue devagar e beba líquidos enquanto você come.
  • Amoleça comidas com molhos, caldos, sopas, iogurte e outros líquidos.
  • Preferira comer alimentos a temperatura ambiente, pois comidas muito quentes ou muito frias, podem machucar a sua boca e a sua garganta.

 

EVITE:

  • Comidas apimentadas, molhos muito quentes, molho curry, pimentas, salsa e molho chili
  • Comidas cítricas ou sucos de laranja
  • Alimentos e bebidas com muito açúcar, como sucos prontos e refrigerantes, que podem causar cárie
  • Cerveja, vinho e outros tipos de bebidas alcoólicas elas podem irritar a mucosa e piorar a dor
  • Palitos de dentes e outros objetos pontudos
  • Produtos com tabaco, cigarros e charutos. Qualquer tipo de fumo danifica o revestimento interno da boca, podendo causar úlceras doloridas que são mais suscetíveis a infecções.

Se a sua boca continuar a doer por muito tempo entre em contato com a seu dentista para que eles possam receitar algum medicamento mais adequado para o seu caso.

Como o sistema imunológico pode ficar enfraquecido, é essencial evitar infecções, inclusive as que parecem mais inofensivas. Uma lesão de cárie tem maior chance, num momento de imunidade baixa, de provocar uma inflamação ou infecção grave. Por isso é recomendável visitar o dentista cerca de duas semanas antes do início da quimioterapia cuidar da saúde bucal antes de iniciar o tratamento. O dentista irá verificar presença de focos de infecção periodontal (na gengiva), lesão periapical (relacionadas com o canal), presença de cárie e possíveis causadores de traumas na mucosa como ponta de cúspide dos dentes, aparelho ortodôntico e próteses mal adaptadas. Os efeitos bucais geralmente acontecem quando a boca não está saudável antes do início da quimioterapia. Se não for possível ir ao dentista antes da quimioterapia começar, veja com sua equipe médica quando é seguro ir ao dentista. É importante avisar que você está sob tratamento quimioterápico ao dentista que irá cuidar de sua higiene bucal.

O QUE SEU DENTISTA FARÁ?

  •          Verificará seus dentes, gengiva, mucosa bucal
  •          Solicitará radiografias (raio-x)
  •          Cuidará dos problemas bucais antes do início da quimioterapia
  •          Mostrará como cuidar de sua boca para evitar efeitos colaterais durante o tratamento oncológico.

LASERTERAPIA

O emprego da laserterapia com o laser de baixa potência é um excelente aliado no tratamento da mucosite oral (feridas na boca) e tem mostrado excelentes resultados pois produz um rápido efeito analgésico (diminuição da dor) e acelera o processo de cicatrização mesmo em pacientes imunossuprimidos. A laserterapia é completamente indolor, não é invasiva e apresenta baixos riscos de efeitos colaterais. Consulte o cirurgião dentista e saiba mais sobre associação dos cuidados orais específicos com a laserterapia.

 

Portanto, mesmo nos momentos mais difíceis durante o tratamento, é preciso acreditar. Conhecer os efeitos colaterais e saber como evitá-los é fundamental para lidar com a doença com mais confiança, desmistificando mitos e lutando com coragem. Os profissionais podem ajudar a minimizar os efeitos colaterais, diminuindo o mal estar durante o tratamento. Os resultados positivos do tratamento não dependem apenas de médicos e medicamentos, mas também da força, da coragem, da motivação e do estado emocional de cada um.